A Associação "A Par d'ilhós" nasceu em 1983 na freguesia de Pardilhó, mesmo na borda da ria de Aveiro, e desde então que se dedica à recolha e divulgação da Música Tradicional Portuguesa.

Cantam temas retirados da música tradicional Portuguesa, respeitando as melodias e texto tradicionais, são depois harmonizados a 3 e 4 vozes e acompanhados por dois violinos, um violoncelo e um piano, que são “confrontados” de quando em vez por uma gaita de beiços ou um pífaro, que teimam em marcar presença em temas conhecidos de toda a gente. Uma mistura de tradicional com classico, de Bach a Piazzola, de Portugal com o resto do mundo... Com arranjos e harmonizações de Nuno Alexandrino, director musical deste projecto.

Constituído por um grupo de grandes e bons amigos, ao longo de mais de 2 décadas têm efectuado centenas de concertos no país e também estrangeiro, e marcaram presença na RTP várias vezes. 

A Associação “a par d’ilhós” dedica-se à recolha e divulgação de Música Tradicional Portuguesa, nas suas mais variadas formas e géneros. A maior parte das músicas que tocam, foi recolhida em casas de pessoas mais velhas da freguesia de Pardilhó e freguesias vizinhas, e outras foram encontradas em cancioneiros populares. A partir daí trabalham-nas e fazem os seus próprios arranjos. 
Nos seus concertos são usados vários instrumentos: acordeão, cavaquinhos, bandolins, violas, guitarras, bombos etc. 
Nas suas actuações envergam trajes que, sem respeitar o rigor etnográfico, são confeccionados com tecidos feitos em teares manuais de Pardilhó. 

Pelo caminho ficam 4 trabalhos discográficos, muitos projectos musicais, muitas aventuras, e muitas histórias para contar... 

Projecto ensemble é o mais recente projecto da associação a par d’ilhós. Um pequeno grupo de câmara (2 violinos, 1 violoncelo, 1 piano) acompanham um pequeno coro de 14 elemento que interpretam temas da nossa música tradicional Portuguesa enquanto introduzem um diálogo com as vozes. A nossa música tradicional é apresentada com uma nova roupagem tornando este projecto inovador em Portugal. Ao nível vocal os temas são cantados respeitando as melodias tradicionais, e textos, apesar de harmonizados a 3 e 4 vozes.